Wednesday, December 8A força da nossa voz!

BRUNO SIEBRA – 7 de setembro: celebrar? Não! Refletir!

Quando essa gente souber que as cores da nossa bandeira não significam o verde das florestas e o amarelo do ouro, mas sim as cores das famílias de Bragança e Habsburgo…

Quando essa gente souber que a separação política do Brasil (chamada de Independência) foi uma grande armação política, para impedir que o próprio povo ficasse independente, e tirasse a família Real portuguesa do poder. D. Pedro JÁ COMANDAVA o Brasil quando declarou independência DELE MESMO e “começou a governar o Brasil”. Não houve ruptura política, não houve mudança estrutural, o povo continuou na mesma. As estruturas políticas continuaram exatamente as mesmas…

Quando essa gente souber que o 7 de setembro é uma data aleatória estabelecida por D. Pedro I em 1826, sendo o “grito do Ipiranga” mera invenção para embelezar a história, sendo que o famoso quadro foi pintado sem que o pintor Pedro Américo sequer conhecesse D. Pedro I, pois nasceu nove anos após a morte do ex-Imperador do Brasil…

Quando esta gente souber que D. Pedro I foi coroado em 1º de dezembro de 1822, os EUA reconheceram nossa Independência em 1823, mas Portugal só em 1825, quando D. Pedro pagou  à SUA PRÓPRIA FAMÍLIA, uma alta quantia de indenização, para, seis anos depois VIRAR REI DE PORTUGAL E USUFRUIR do dinheiro brasileiro e do prestígio de ser UM MONARCA EUROPEU.

Quando esta gente souber que nosso primeiro governo foi uma autocracia governada pelo bizarro e autoritário Poder Moderador, e as parcas eleições eram censitárias (votava quem tinha dinheiro)…

Quando essa gente souber que a República foi proclamada por um golpe sem nenhuma participação do povo, na noite de 15 de novembro de 1889, sendo que o os dois primeiros governos não foram eleitos pelo povo, ou seja, alterando pouco as estruturas de poder…

Quando esta gente souber que entre 1894 e 1930, os 11 presidentes entraram por eleições de araque, onde o povo nada decidia, sendo o resultado combinado pelas elites de Minas e São Paulo…

Quando esta gente souber que Vargas nos seus quinze primeiros anos de governo não ganhou uma eleição sequer, tendo transformado o país numa ditadura forjada em mentiras (Estado Novo)…

Quando esta gente souber que as primeiras eleições realmente democráticas só vieram ocorrer em 1946…

Quando esta gente souber que o primeiro presidente que resolveu sinceramente adotar uma agenda próxima aos pobres foi deposto no Golpe de 1964, e que os Ditadores (amados por muitos) são os grandes responsáveis pelo endividamento extremo que causou as mazelas sentidas durante a década de 1980…

Quando essa gente souber que a grande mídia controlou e decidiu as eleições de 1989

Quando esta gente souber que os governos seguintes foram controlados pelas grandes corporações, como a Odebrecht, por exemplo, sendo quase metade do orçamento do país destinado para os bancos, para o setor financeiro, que as migalhas que os pobres agradecem são apenas uma cortina de fumaça…

Quando esta gente souber de tudo isso… ela marchará alienada pelas ruas com balões coloridos, ou marchará na luta pela independência que nunca de fato chegou ao povo?

Quando esta gente souber de tudo isso… estará ela preparada para assumir o controle, tomar o poder que lhe é devido, colocará alguém que realmente represente os anseios do povo, ou continuará presa ao cabresto dos coronéis e caciques?

7 de setembro… mais do que uma data para celebrar, uma data para refletir.

Bruno Siebra é graduado em Jornalismo, História e Letras, Pós-Graduado em Língua Portuguesa, Arte-Edcação, Gestão Escolar, Coordenação Pedagógica e Tutoria em Língua Portuguesa. É jornalista, diretor da Atual Online, professor no Instituto de Ensino Sátiro Siebra, lecionando também em cursinhos e no Ensino Superior. É músico, cantor, compositor e escritor, com três livros publicados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *